Tomate em expansão: das plantações para o mercado internacional

Por: Karol Colby de Mattos, 03/03/2021

  • Alto consumo mundial 

  • Brasil no top 10 mundial de exportadores e com tendência a crescer

  • Oportunidades favoráveis na América do Norte e Latina 

  • Alimento versátil e uma excelente fonte de nutrientes

       O tomate, considerado por muitos como a hortaliça mais importante, tanto do ponto de vista econômico, quanto em relação aos benefícios para a saúde, gera uma produção mundial de mais de 150 milhões de toneladas anuais de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. Atualmente, o Brasil se encontra no 8º lugar entre os produtores mundiais, no entanto, os maiores consumidores estão localizados na América do Norte, indicando assim, uma ótima oportunidade para a exportação, que em tempos de crise, tornou-se uma grande aliada dos produtores.

       O fruto, rico em substâncias anti-inflamatórias e vitaminas A, C, e K , é uma fonte poderosa de licopeno, que segundo estudos da universidade de Oxford e Cambridge beneficiam a pele, cabelo e previnem o câncer. Com forte presença nas mesas brasileiras, consumido em saladas, molhos, alimentos processados e até mesmo sucos, suas características benéficas e seu fresco sabor, despertam a certeza de um crescimento exponencial do consumo de acordo com a Associação Brasileira da Cadeia Produtiva do Tomate para Processamento. 

    No Brasil, apesar do crescimento pela demanda do tomate, assim como a expansão de suas indústrias e fazendas terem presenciado o estopim na década de 1970, o investimento na exportação do fruto atualmente é extremamente vantajoso, principalmente para lugares como México, Argentina e países que fazem parte do Mercosul, por usufruírem de ausência de tarifas de exportação, assim facilitando o comércio.  

      Hoje, o Brasil alcança valores próximos a 64.000  hectares de área de plantio segundo o IBGE. Com mais de 4 milhões de hortas cultivadas pelo país, e técnicas de plantio desenvolvidas para a minimização de riscos, o solo brasileiro se torna cada vez mais fértil e frutífero para o tomate. Atualmente, com a busca pelos alimentos naturais e saudáveis, além dos industrializados e de rápido consumo, o Brasil tem uma forte chance de ocupar um espaço mundial maior e o mercado do tomate industrial mostra que o crescimento é certo. 

 

     O conhecimento a respeito das tendências das indústrias e preferências dos consumidores torna-se imprescindível na hora de exportar. Investir em maneiras que permitam conhecer o público-alvo, além de inteirar-se a respeito dos novos mercados que favoreçam sua produção, e países que possuem grandes oportunidades, garante que o exportador tenha resultados favoráveis. 

Fontes:

https://bit.ly/3eaY2dZ

https://bit.ly/3bXtB88

https://bit.ly/3bh1oKz

https://glo.bo/3e9qzk4

https://bit.ly/2Oqs5n0