O mercado e cultivo de melancias: um bom negócio para o Brasil

Por: Paula Rinkieviej, 26/08/2021

      As origens da melancia são incertas, mas, segundo estudos de pesquisadores, são nativas da África e passaram a ser consumidas como alimento no Egito Antigo. A melancia é uma das opções de frutas preferidas do brasileiro, principalmente devido ao seu gosto doce, e por ser uma ótima opção de hidratação em dias quentes, típicos do clima tropical.

 

     A melancia nem sempre foi dessa maneira como atualmente é conhecida: vermelha e com sabor adocicado. Foi por meio do processo da seleção artificial, que ocorreram mutações para que a fruta obtivesse essa forma e gosto que tem hoje. Além disso, é benéfica para a saúde, rica em vitamina A e C, garantindo a saúde dos ossos, pele e olhos. Ajuda a prevenir doenças cardíacas, devido a presença de  magnésio e potássio, que reduzem a pressão arterial. Por fim, o alimento auxilia a digestão através das fibras presentes na polpa.

 

    No Brasil, a melancia foi introduzida durante o período de cultivo da  cana-de-açúcar, com destaque nas regiões Norte e Sul. Depois, espalhou-se pelo país. No entanto, a fruta só ganhou destaque a partir da década de 90, quando os brasileiros quiseram ter um modo de vida mais saudável, optando por alimentos proteicos e com baixas calorias. Desde então, houve a  consolidação dos mercados de melancia, impulsionando a produção brasileira, que se tornou uma das maiores do mundo.

 

     O clima possibilita a produção da fruta por todo o país, mas há  estados que são destaques na produção: São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte. O cultivo da melancia pode ser realizado em pequenas propriedades, assim como por grandes empresas agrícolas. Por ser uma fruta muito adaptável, se espalhou no mundo através de suas sementes, e o plantio pode ser feito durante todo o ano. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está facilitando a exportação de melancia, autorizando diversos municípios a realizarem esse comércio.  

 

    Segundo dados do IBGE, nacionalmente são produzidas mais de 2,2 milhões de toneladas da fruta. Em 2019, as exportações cresceram cerca de  52% (mais de 100 mil toneladas) que foram enviadas principalmente para países da América do Sul. De acordo com a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), mesmo com a pandemia, a exportação brasileira de frutas subiu 6% em relação ao ano anterior, tendo a melancia como uma das protagonistas nessa expansão. Além disso, a venda da melancia para o exterior está sendo mais positiva do que para o mercado interno, como aconteceu em Goiás, que exportou para a Argentina, Uruguai e Paraguai, segundo notícia divulgada no Globo Rural.

 

     Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nos 4 primeiros meses de 2021, se comparado com o mesmo período em 2020, o volume de frutas exportado para outros países teve um aumento de 21,39%. Houve um aumento na venda de melancias, com 28,35 mil toneladas no quadrimestre, representando um acréscimo de 24,61% em relação a 2020. A maior parte dos alimentos produzidos vão para a Europa, e os três maiores consumidores são Reino Unido, Espanha e Países Baixos.

 

   O Brasil é um ótimo produtor de melancia, e é um dos fortes competidores nesse mercado, sendo muito compensativo investir devido ao clima e a extensão do país. Como nos últimos anos a exportação de melancia cresceu de maneira robusta e a produção interna ter aumentado de forma positiva, o essencial seria a contribuição de uma consultoria. Isto é, como a Prisma, que de maneira estratégica saberia para onde exportar o seu produto, analisar a forma mais efetiva dessa venda para outro país, facilitará a entrada do cliente no mercado, já apresentando possíveis compradores e fornecedores e mantendo o cliente atualizado com as tendências de mercado. 

 

     

Fontes:

https://bit.ly/3kqHkbY

https://glo.bo/2WoVF0d

https://glo.bo/2WyNjTC

https://glo.bo/2WtPmZt

https://bit.ly/3jj8Mch

https://bit.ly/38mkQDw

  • Nos últimos anos o número de exportação brasileira está crescendo;

  • Rica em vitamina A e C e com grande poder de hidratação;

  • Crescimento de exportação para países do MERCOSUL e Europa.