ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

O mercado brasileiro de pães, massas, bolos e biscoitos: crescimento  em contexto de crise

Por Raphaela Carramillo 14/11/2019

     Durante os primeiros quatro meses de 2019, o setor de biscoitos, pães industrializados, massas e bolos prontos exportou 46,2 milhões de dólares, representando crescimento de 3%, com relação ao mesmo período em 2018. No ano passado, o faturamento total foi de 26,6 bilhões de reais, aproximadamente 6,65 bilhões de dólares.

 

     Considerando os produtos desse segmento, os mais valorizados no mercado nacional são os biscoitos, massas e pães. No primeiro caso, os biscoitos mais consumidos pelos brasileiros, nos anos de 2017 e 2018, foram: Água e Sal/ Cream Cracker, Champagne e Coberto/ Palito. Segundo os dados disponibilizados pela Associação Brasileira de Pães, Massas, Bolos e Biscoitos Industrializados (ABIMAPI), no mercado nacional, esse setor movimentou 2,275 bilhões de reais. 

 

     Com relação às exportações e importações brasileiras, sabe-se que as classificações mais comercializadas foram Bolachas e Biscoitos (com edulcorantes), Waffles e Wafers e Outras Bolachas. Enquanto as importações promoveram um gasto de 36.468 milhões de dólares em 2018, que iriam à Itália, Alemanha e Polônia, os principais destinos das exportações foram Estados Unidos, Paraguai e Uruguai, representando um montante de 100.625 milhões de dólares.  

 

     Por sua vez, o setor das massas no mercado nacional é representado, respectivamente, por um maior consumo de massas secas, seguidas por instantâneas e massas refrigeradas + pizzas. O destino das exportações é composto por Venezuela, Chile e Paraguai, enquanto a origem das importações é da Itália, Estados Unidos e China.

 

      As variedades importadas e exportadas correspondem às Massas Alimentícias com ovos (nem cozidas nem recheadas), Massas Alimentícias sem ovos (nem cozidas nem recheadas), Massas Cozidas, Recheadas e Preparadas de outro modo e Outras massas alimentícias.  O valor total das importações de 2018 foi de 36,753 milhões de dólares, enquanto as exportações corresponderam a 10,258 milhões de dólares.

 

     O setor de pães e bolos é o menos significativo quando comparado com os demais. As variedades exportadas e importadas com maior frequência foram Pão Knackebrot (sueco), Panetone e Outros Pães de Especiarias, movimentando cerca de vinte e cinco milhões de dólares, com destino principal aos Estados Unidos, Paraguai e Uruguai. No caso das importações, foram gastos cerca de quarenta milhões de dólares, com origens na Bélgica, Malásia e Itália. 

Grande parte do crescimento do setor está vinculado ao tempo de vida dos produtos, considerado mais alto. Mesmo assim, o impacto da crise é sentido com relação à perda do poder aquisitivo da população. 


     Na contramão do restante do país, São Paulo apresenta um crescimento de 33% do setor, sendo as empresas paulistanas as responsáveis pela exportação de mais de 45 mil toneladas, com um faturamento de US$ 94,97 milhões, segundo dados da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, Investe São Paulo.

Fontes:

https://bit.ly/2NLQel4

https://bit.ly/2NK7Cqt

https://bit.ly/2rF0iDW

https://bit.ly/2rKz27c

  • Mercado nacional

  • ABIMAPI

  • Industrializados

  • Crescimento