Melão: seu potencial além das fronteiras brasileiras

Por: Maria Augusta Prado, 19/03/2021

  • Favorecimento de exportação devido aos acordos comerciais;

  • Plantações adaptáveis ao clima brasileiro;

  • Árvores férteis.

     Hoje em dia, é muito comum ter algumas fatias de melão docinho e amarelo no café da manhã brasileiro, todavia, há registros de suas plantações no Egito e no Irã desde cerca de 2.500 a.C. As primeiras sementes de melão chegaram à América junto com as embarcações de Cristóvão Colombo, começando a ser comercializada no Brasil algumas décadas depois.

     Apesar de suas raízes históricas, atualmente o Brasil passou de importador de melões europeus para exportador. De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em 2019, foram exportadas 250 mil toneladas de melão para diversos países, principalmente para a China, após um acordo bilateral feito por ambos através do BRICS. Com isso, atingimos um marco muito importante, após a abertura do mercado chinês, sendo o primeiro país a importar melões para a China. Tendo isso em vista, os produtores esperam dobrar suas vendas, conquistando no mínimo 1% do mercado.

     De acordo com a Embrapa, os maiores estados produtores são: o Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia, Rio Grande do Sul e Pernambuco, o que mostra uma clara predominância do Nordeste, vindo de acordo com as regiões semiáridas proporcionando um ambiente propício para o crescimento de suas árvores entre 2,1 a 2,4 metros de altura, folhas grandes e redondas, com frutas de 1 a 4 quilos, que dão frutos em média 50 a 65 dias após o plantio. 

 

    Tendo isso em vista, há inúmeras formas de exportar o melão, como por exemplo, a fruta fresca gerou US $116,95 milhões somente com as safras vindas do Rio Grande do Norte no ano de 2019, de acordo com a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina. Além disso, atualmente o ramo de exportações de polpas é extremamente fértil, considerando que atualmente somente no Ceará tem 148 empresas voltadas para este mercado, segundo dados do Observatório de Pesquisa da FIEC (Federação das Indústrias do Estado do Ceará). Fora que o aumento de números de importações chinesas de melão está ligado ao espaço da fruta na culinária e medicina local, as folhas são usadas como bases de chás curativos e compressas para feridas na pele.

 

   Vindo de acordo com essas informações, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), afirma sobre a importância da complementação de remédios naturais para  o aumento da saúde e imunidade. Por esses motivos, a melhor opção é uma pesquisa extremamente estruturada sobre um plano de ação em um mercado tão abrangente e fértil, como os serviços da Prisma: a Análise de Mercado, com dados e diversas informações específicas de um país, ou a nossa Lista de Compradores, em que selecionamos contatos que comprem, distribuam e vendam os produtos.

Fontes:

https://bit.ly/2QbBf7J 

https://bit.ly/2PdC8MQ

ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram