Jabuticaba: Da sua infância para o mundo

Por: Maria Augusta, 16/10/2020

     Para muitas pessoas a jaboticaba ou jabuticaba, está ligada a memória afetiva da infância. Aquela majestosa árvore no quintal, com um tronco cheio de suculentas bolinhas pretas, alegrava as tardes de todos. Todavia, a familiar jabuticaba está rompendo fronteiras e se tornando um produto em potencial para diversos setores a fora.

     É uma fruta proveniente do Brasil, nativa da Mata Atlântica, de fácil adaptação tanto do clima tropical quanto do subtropical úmido, sendo encontrada nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Goiás entre outros.  A época das colheitas se dá entre os meses de agosto a setembro e de janeiro a fevereiro. Apesar do curto período, as retiradas são abundantes. Na realidade, de acordo com dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA) elaborados entre 2014 a 2018, somente a produção paulista de jabuticaba foi em média de 2.646,8 toneladas anuais.

     A jabuticaba atende a diferentes funções: gastronômicas, como a famosa “Jabuticabada”(suco típico de Minas Gerais), geleias, licores e vinagres; em produtos estéticos, ou seja, sabões, esfoliantes, perfumes, óleos de colônia; e a mais nova descoberta divulgada por uma pesquisa da Universidade de Goiás (UFG) publicada em 2019, sua utilidade medicinal, em que a função antioxidante presente na fruta neutraliza o mal desempenho das células  e auxilia o regulamento da pressão arterial, além de um composto presente na casca que protege as estruturas do cérebro ligada ao armazenamento da memória e  prevenção do Alzheimer.

   

    Tomado o conhecimento de suas capacidades, tendo em vista a exclusividade brasileira do produto e a possibilidade de ser cultivada desde pequenos quintais até grandes hectares, o investimento progressivo nas plantações de Jabuticaba é uma boa resposta aos interesses estrangeiros crescentes na fruta. De acordo com a Globo rural, uma área de 30 mil metros quadrados e R$ 89 milhões de investimento, é  exclusiva à exportação de Jabuticabeiras para a China. O entrevistado também diz que caso as árvores se tornem férteis na Ásia, a expectativa é de exportar 2 mil árvores em 10 anos. 

     Por outro lado, as possibilidades de comércio das Jabuticabas não se limita aos grandes exportadores. Na realidade, o famoso Festival da Jabuticaba de Sabará, que tem como finalidade promover os pequenos agricultores locais e os produtos artesanais variados da fruta, recebeu 130 mil pessoas em 2018, relatado pelo G1. O evento exerce tanta influência que o INPI (Instituto Nacional  de Produção Industrial) concedeu ao evento a Indicação Geográfica, regulamentando esses produtos como uma manifestação naturalmente brasileira.

    Independentemente, sendo pequenas, médias ou grandes empresas; é necessário  um auxílio no direcionamento dos investimentos no mercado. Essa situação pode ser feita através de nossos serviços como Identificação de Mercado, onde analisamos 5 países com o potencial da importação do produto e, depois de determinar o destino das exportações, a Análise de Mercado, com uma pesquisa mais aprofundada do local escolhido. Dessa forma, até mesmo mesmo uma parte da infância legitimamente brasileira, pode ser bem recebida em outro país.

   

Fontes:

https://bit.ly/3jFqfZp

https://glo.bo/3ec9unK

https://bit.ly/2HONkMf

https://bit.ly/31W3rP4

https://glo.bo/2TztvLr

  • Plantações de fácil adaptação 

  • Múltiplas Utilidades

  • Fruta Exclusivamente Brasileira

ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram