A ascensão do mercado de exportações do Guaraná

Por Antonio Miranda 01/06/2020

  • Exoticidade, versatilidade e exclusividade do guaraná;

  • falta de competição no exterior e aceitação internacional;

  • crescimento da demanda internacional;

  • perfil dos consumidores;

  • intensificação na divulgação.

      O guaraná, produto típico da região amazônica, é muito conhecido no Brasil, como também no exterior. O fato dele ser um produto único do território brasileiro dá ao mercado uma sensação de exoticidade e exclusividade dos produtores nacionais em mercados externos, condicionando tal nicho a sempre ter uma alta demanda se comparada à oferta, o que faz com que muitos comercializantes tenham interesse em vender o produto a consumidores estrangeiros.

  

     Ademais, segundo dados do Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), estima-se que em torno de 70% da produção seja voltada aos fabricantes de refrigerantes, enquanto o restante é comercializado na forma de xarope, bastão, pó, extrato e outros subprodutos. Dessa forma, é possível notar outra característica do guaraná: é um produto versátil. Esse atributo agrega valor no mercado e faz com que compradores internacionais procurem o Brasil para o fornecimento dessa mercadoria. 

   

   Em pesquisa mercadológica realizada pelo SEBRAE ( Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o guaraná tem uma produção nacional que gira em torno de 4 mil toneladas por ano, desse total cerca de 90% é absorvido pelo mercado interno. O fato de somente 10% da produção da fruta ser voltada ao mercado externo, assim como o motivo do Brasil ser o único país exportador desse produto, faz com que a concorrência no mercado internacional seja pequena, sendo que os únicos competidores do Brasil são a Venezuela e Peru. Dessa forma o pequeno produtor de guaraná tem grandes chances de se encaixar nesse mercado. Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), o Brasil teve valor bruto de produção de guaraná  em 2018 de R$27 milhões. A demanda nos mercados internacionais faz com que o país já exporte para países como Japão, Itália, Inglaterra, USA e Espanha, sendo este último a principal porta de entrada para o mercado europeu. 

     

     O guaraná é um produto certificado pela Associação de Certificação Instituto Biodinâmico - IBD, consequentemente, o guaraná é um produto certificado conforme os padrões internacionais. A fruta também já teve a aceitação dos americanos, europeus e asiáticos. Segundo informações do programa de melhoria genética do guaranazeiro da Embrapa, a produção terá que dobrar nos próximos três anos para atender à demanda do mercado externo. Os embarques para os países da América, Europa e Ásia crescem cerca de 20% ao ano, segundo o SEBRAE. As exportações de guaraná e a sua aceitação no mercado internacional já é histórica. O projeto Onça, Organização Núcleo de Comunidades Agrícola, de Taperoá, envia guaraná em pó para a Alemanha desde 1995. Nos últimos 13 anos, as remessas anuais haviam somado 4,5 toneladas, com remunerações de até 14 dólares por quilo. Segundo dados da empresa Agrospice, produtora de guaraná, atualmente exporta-se por ano 300 a 500 toneladas de guaraná representando cerca de US$ 15 milhões.

 

    O perfil do consumidor de guaraná hoje é mais amplo, abrangendo pessoas de diversas idades e é usado para os mais variados fins, isso se dá pelas inúmeras características da fruta, que apresenta um alto teor de cafeína e estimulantes cardiovasculares. A fruta é utilizada até mesmo por atletas, frequentadores de academias, ginástica, praias e turistas, gerando um novo e rentável campo de negócios para produtores e exportadores. O consumo de guaraná tornou-se um hábito.

   

    O mercado externo também tem perspectivas favoráveis de crescimento dada à política de atuação das grandes, médias e pequenas empresas, assim como de laboratórios que estão investindo em novos nichos de mercado. Diante do grande potencial comercial, entidades como a SUFRAMA (Superintendência da Zona Franca de Manaus) tem intensificado a divulgação do guaraná em eventos para auxiliar na abertura de novos mercados e identificação de oportunidades de negócios. Outro fator que contribui para o crescimento do consumo de guaraná no exterior é o crescimento de outros mercados, como o de confeitaria, cosméticos e de bebidas, pois todos esses vem no fruto um substituto mais saudável e de melhor qualidade. Dessa forma, a crescente participação do produto no mercado, assim como as demandas de exportação, trazem ótimos ares para o investidor que deseja exportar, que com auxílio de uma consultoria especializada conseguiria  identificar essas oportunidades para investimento. 

 

Fontes:

https://bit.ly/2GbDbT9

https://bit.ly/2wBFLSK

https://bit.ly/2jSujsI

https://bit.ly/2Iz1QX5

https://bit.ly/2zautak

https://bit.ly/3dIGIKo

ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram