imagem texto de taiwan e china.png

Crise entre China e Taiwan e seus impactos econômicos

Explicando a crise

          Recentemente a Presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, foi à Taiwan. O governo chinês reagiu negativamente à visita e a considerou uma afronta à sua soberania. Para deixar claro o seu desconforto, a China executou diversos exercícios militares, próximos à região.

Taiwan se considera independente desde 1949, possuindo autonomia política, porém o gigante asiático julga a ilha como parte de seu território e deixou bem claro suas intenções de uni-la novamente ao país, usando a força, se necessário. Taipei, por outro lado, iniciou diversos exercícios militares ao redor da ilha, além de propor um orçamento de defesa de 13,7 bilhões de dólares, aumentando-o em 13% em relação ao último ano, com o objetivo de reforçar sua capacidade defensiva.

 

Relação econômica entre China e Taiwan

          A China representa o maior parceiro econômico de Taiwan, com mais de 42% das exportações taiwanesas destinadas ao gigante asiático, de onde a ilha obtém 22% de suas importações. Taiwan é o maior produtor de semicondutores mundial, usados na produção de chips, setor que já está em crise e afeta o mundo todo. Além disso, a rota marítima entre China e Taiwan é uma das mais movimentadas do mundo.

Rigorosas sanções foram impostas pela China, que suspendeu as importações de frutas e produtos de pesca, além de interromper exportações de areia natural, que é utilizada pela indústria de construção da ilha. Entretanto, a economia chinesa depende da importação de commodities eletrônicos vindos de Taipei, assim como Taiwan possui cerca de 70% de sua economia baseada nas exportações, necessitando da compra da gigante chinesa.

 

Envolvimento dos Estados Unidos na crise

          Taiwan se apresenta como nono maior parceiro comercial dos Estados Unidos, que o reconhece como Estado independente. Ambos possuem acordos de cooperação e comércio, como a lei Taiwan Relations-Act, que determina a exportação de sistemas modernos de armamento para Taipei, além de decretar o compromisso dos EUA de defender a ilha contra possíveis invasões. Com isso, caso a China declare guerra à Taiwan, significaria uma guerra entre as duas maiores economias mundiais, pois os Estados Unidos teriam que se envolver diretamente no conflito, para não gerar uma perda de confiança entre seus aliados.

 

Quais seriam os impactos desse conflito para o Brasil?

          O Brasil seria fortemente abalado por essa crise, dada a dependência que tem dos semicondutores que Taiwan produz. Só no primeiro semestre de 2022, o país importou quase 5 bilhões de dólares, em produtos vindo de Taiwan. Os materiais importados em maior quantidade são chips, semicondutores e processadores, representando 30% das importações desses produtos, que chegam ao Brasil. Dessa maneira, as mercadorias vindas de Taipei, são vitais para a indústria brasileira, que sem esses materiais teria que procurar novos fornecedores, o que afetaria fortemente a oferta desses artigos, gerando um aumento nos preços de bens duráveis. Diante dessa crise, o indicado é esperar e ter cautela, em relação a investimentos, visto que é difícil prever uma guerra entre os países citados.

Por: Gabriela Costa Eitler em 16/09/2022

Fontes:

https://bit.ly/3RgxmbN

https://bit.ly/3Rc0O2L

https://bit.ly/3dV4E1Y

http://glo.bo/3Au54Eh

https://bit.ly/3pTrPw9