ARGENTINA i.jpeg
  • Divulgação de medidas prioritárias para a recuperação do comércio bilateral;

  • Importância da Cembrar na promoção de benefícios comerciais;

  • Benefícios da internacionalização para a Argentina;

  • Aumento das exportações já no primeiro semestre do ano.

O comércio Brasil-Argentina e suas novas perspectivas para 2021

Por: Giovanna Relva 23/06/2021

     No âmbito da reunião virtual da Cembrar (Conselho Empresarial Brasil-Argentina), foi divulgada no dia 10 de junho uma declaração conjunta entre a CNI (Confederação Nacional da Indústria) e a UIA (União Industrial Argentina), que prevê uma série de medidas prioritárias a serem aplicadas no segundo semestre de 2021, com o intuito de promover a recuperação do comércio bilateral entre os dois países, bem como engendrar ações para estimular a integração do Mercosul, frente à crise causada pela COVID-19.

     A Cembrar foi criada em 2016, com o intuito de promover oportunidades de cooperação pública e privada entre o Brasil e a Argentina. O conselho já foi uma peça importante para a aprovação de diversas medidas que incentivaram o comércio entre os dois países, como o Marco Geral das Iniciativas Facilitadoras de Comércio no Mercosul e o Protocolo de Cooperação e Facilitação de Investimentos Intra-Mercosul. Atualmente, espera-se que a série de medidas previstas pela declaração traga benefícios para o comércio bilateral entre os países e até mesmo a futura negociação de novos acordos comerciais, de acordo com o embaixador da Argentina no Brasil, Daniel Scioli, que também destaca a recuperação do comércio com o Brasil como uma das prioridades atuais da Argentina.

 

     Dentre as prioridades para a relação Brasil-Argentina, a declaração destaca: medidas de facilitação do comércio, que permitam a criação de um mecanismo de monitoramento de quaisquer dificuldades ou barreiras para a circulação de mercadorias entre os países; a convergência regulatória entre o Brasil e a Argentina visando a redução e até mesmo a eliminação de barreiras comerciais; e o gerenciamento, junto aos governos de ambos os países, da promoção do uso de documentos eletrônicos nos processos bilaterais de importação e exportação.

 

     Ao longo das duas últimas décadas, a Argentina se destaca por estar entre os cinco principais parceiros comerciais do Brasil, segundo dados do Atlas of Economic Complexity. Além disso, segundo o Santander Trade, o Brasil é o principal parceiro comercial do país. Ademais, os países do Mercosul, e em especial a Argentina, proporcionam aos empresários brasileiros que desejam internacionalizar seus produtos uma série de benefícios, como a distância, que inclusive é um fator importante para a diminuição de custos para pequenas e médias empresas, os impostos reduzidos, a facilidade para exportadores brasileiros de obtenção de linhas de crédito, e também a burocracia reduzida, por exemplo, por meio da emissão digital do Certificado de Origem, entre outros aspectos. 

 

     Apesar da queda causada pela pandemia, as exportações brasileiras para a Argentina contabilizaram US $897 milhões em abril de 2021, 82% a mais em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo a Câmara Argentina de Comércio e Serviços. Ademais, com as novas medidas a serem tomadas pela Cembrar no segundo semestre do ano, as expectativas são de avanços ainda maiores nesse comércio bilateral. A partir disso, é importante destacar que a atuação de uma consultoria internacional especializada é imprescindível para que a estratégia de exportação para a Argentina seja elaborada da forma mais eficiente possível, a partir de uma análise de mercado detalhada sobre o país e também de um mapeamento de regulamentações e tarifas, que é essencial para a compreensão dos novos mecanismos que possivelmente serão implementados ao processo de troca comercial.

Fontes:

https://bit.ly/2U0qiaX

https://bit.ly/3vOayFd 

https://bit.ly/3qiVqih

https://bit.ly/3h1nceG 

https://bit.ly/3vQatAY 

https://bit.ly/3vTJ9BQ 

https://bit.ly/3xQ6VQP 

https://bit.ly/3xKNUyX 

https://bit.ly/3wRFg1K