Cópia de Site - imagens dos textos.png

As disputas internacionais em torno da CELAC

O que é a CELAC ?

 

     A América Latina possui dentro de sua formação diversos Blocos Regionais, com os mais diversos objetivos comuns entre seus Estados-membros, a fim da garantia de seus interesses. Dentre eles, é necessário exaltar a presença da CELAC (Comunidade dos Estados Latino Americanos e Caribenhos), no qual, embora de atuação tímida quando comparada a blocos maiores como o Mercosul, possui uma grande relevância dentro de todo o continente.

 

     Criada em Fevereiro de 2010, com a participação ativa de 33 membros, a CELAC possui duas vocações principais: a cooperação para o desenvolvimento e a concertação política. O bloco regional visa promover a discussão de temas de interesse dos países da região, como educação, desenvolvimento social, cultura, transportes, infraestrutura e energia, enquanto mantém a ideia de debate Sul-Sul, uma vez que Estados Unidos e Canadá não estão presentes no bloco, tal qual na OEA (Organização dos Estados Americanos).

 

Seus principais objetivos atuais e possíveis conflitos.

 

     Sendo assim,  é notável que a CELAC possui sua esfera de influência no continente. Visando expandi-la, foi realizado o último encontro dentro de Setembro de 2021, nela o presidente do México e também anfitrião da cúpula, Andrés Manuel López Obrador propôs para dentro do bloco, o início de um processo de integração econômica, tal qual a União Europeia, transicionando para um continente mais agrupado de forma política e econômica entre seus Estados-Membros.

     O objetivo principal desta ação é voltada, principalmente, para a retirada de influência da OEA e Estados Unidos na decisão de diversos assuntos, uma vez que devido ao seu poder, oprime de certa forma, países menores que visam utilizar a plataforma destes blocos para maiores reivindicações internacionais.

No entanto, a decisão de realização de um bloco destas proporções irá se chocar com outros já consolidados como o Mercosul e OEA, que podem enfrentar concorrência, a depender de como este processo de integração econômica regional será criado. Somado a isso, países como EUA e Canadá não enxergam com bons olhos sua formação, uma vez que, os excluem da formação principal, além de tentar enfraquecer a OEA, uma das maiores plataformas de promoção de sua influência dentro da América Latina.

 

Qual a atuação do Brasil dentro desse meio?

 

     O Brasil, atualmente, está fora da CELAC por decisão do governo Bolsonaro, desde janeiro de 2020, com a alegação de que, segundo o Ex-Ministro das Relações Exteriores (em posse naquele tempo), Ernesto Araújo: "a CELAC não vinha tendo resultados na defesa da democracia ou em qualquer área". Sendo assim, tendo em vista disputas que podem vir a ocorrer junto ao Mercosul e países aliados como o EUA, a aprovação e volta brasileira à CELAC, nos dias atuais, pode ser difícil.

     Todavia, dentro das Relações Internacionais existem muitas coisas que não podem ser consideradas fixas, tais quais a participação de países em blocos e integrações econômicas. 

    Sendo assim, não se deve descartar uma possibilidade de retorno brasileiro no futuro, ainda mais um projeto de integração que pode gerar diversos frutos à economia brasileira, como a CELAC. Para tanto, para um investidor, é sempre necessário estar atualizado com o mercado, por isto um serviço de Atualização de Mercado é de suma importância para estar sempre atento às mudanças globais e possíveis oportunidades.

Por Enzo Toledo em 24/11/2021

 

Fontes:

https://bit.ly/3HO9cBN

https://bit.ly/3cI6qj6

https://bit.ly/3FLEE1y

https://bit.ly/3nNaoNC