ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

Carne Bovina: Recorde de exportação e expressiva demanda nacional e internacional 

Por Marina Silva 12/12/19

  • Previsão positiva para exportações em 2020

  • Exportação recorde segundo Abiec

  • Altas no ano de 2019

     Como resultado de um grande investimento na tecnologia que ocorreu por décadas, o Brasil se tornou um dos mais importantes países produtores de carne bovina do mundo. Diante da produtividade e qualidade do produto brasileiro, a carne bovina tornou-se um alimento de competitividade tão grande, que alcançou o mercado de mais de 150 países ao redor do mundo. 

     Além de sua popularidade internacional, a carne bovina do país também se mostra indispensável para os brasileiros, que consomem 80% da própria produção. Segundo a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), em 2015 o Brasil se posicionou mundialmente como detentor do maior rebanho com 209 milhões de cabeças; o segundo maior consumidor com 38,6 kg por habitante ao ano e como segundo maior exportador com 1.9 milhões de toneladas no mercado de carne bovina.

 

     Atualmente, a exportação de carne bovina já representa 3% das exportações do país com um faturamento de R$ 6 bilhões, constitui 6% do PIB (Produto Interno Bruto) com uma movimentação que supera os R$ 400 bilhões e apresenta um aumento de 45% nos últimos 5 anos. 

 

     No ano de 2018 a exportação brasileira de carne bovina foi estimada em 1,643 milhões de toneladas, enquanto a de 2019 subiu para 1,828 milhões de toneladas, segundo os dados publicados pela Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne), demonstrando uma exportação recorde para o país. 

     Para o ano de 2020 o cenário de exportação de bovinos demonstra-se positivo. As estimativas da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) apontam para o aumento da demanda do mercado externo por esse produto, além de haver também uma demanda massiva para o mercado doméstico. 

     Espera-se que haja um aumento de 14% nos embarques de carne bovina, chegando a 2,7 milhões de toneladas exportadas, apontamento da CNA embasado também, na variação da carne bovina de 5% a 26%, devido ao aumento das exportações do produto para a China que cresceram 54,5% entre 2018 e 2019, dada a relevância do mercado asiático como grande alvo das exportações da carne bovina brasileira. 

     Segundo Julia Passabom, economista especialista em inflação do Itaú Unibanco, em resposta dada à revista brasileira Exame, a desvalorização do real em relação ao dólar contribui para altas nas exportações, uma vez que faz o produto brasileiro mais competitivo no mercado internacional. Segundo Passabom, além das influências das exportações, bastante voltadas a China, há outros fatores que influenciam o preço dessa carne no Brasil, um desses é a sazonalidade do produto.  

     Fatores dessa sazonalidade apontam um aumento na demanda por este tipo de carne no final do ano. A entressafra no setor reflete as características do ciclo da proteína que apresenta um abate mais intenso no início do ano, porém é algo que não incentiva grandes desvios nos preços do produto. É importante o conhecimento nessas áreas, tanto do mercado internacional quanto nacional para investir nesse produto, que possui enorme potencial de expansão.

Fontes:

https://bit.ly/2EaehER

https://bit.ly/2t4vgWL

https://bit.ly/2LNJZMs

https://bit.ly/38CeCyj