blockchain-3831728_1920.jpg
  • Pandemia acelera melhorias tecnológicas em importação e exportação;

  • Regulamentação do blockchain;

  • Reformulação do Portal Único de Comércio Exterior;

  • Benefícios para empresários brasileiros.

    A transformação digital, que já vinha ocorrendo em um ritmo acelerado, foi extremamente impulsionada pela pandemia de COVID-19, a qual tornou a adaptação a ferramentas tecnológicas uma necessidade. E, assim como demais processos, os trâmites de exportação vêm sendo facilitados por novas tecnologias, permitindo a redução de custos e a agilização de processos aduaneiros.

 

     Um dos componentes dessa transformação digital do comércio exterior, é o uso do blockchain como tecnologia facilitadora dos processos de exportação e importação. Essa ferramenta consiste em uma cadeia descentralizada de “blocos” que carregam informações, formando uma rede global codificada, tornando-a praticamente inviolável.

 

      A Receita Federal, através do decreto nº 10.550, regulamentou o uso do blockchain no comércio exterior para, entre outros objetivos, facilitar a validação de documentos nas alfândegas, dos quais a necessidade de assinaturas manuais foi retirada, podendo ser substituída por um certificado digital.

 

      Ademais, com a regulamentação do blockchain, também passa a ser permitido o uso de plataformas de integração aduaneira, como a bConnect, criada pelo Serpro em conjunto com a Receita Federal e que desde outubro é usada entre Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai, para automatizar o compartilhamento de informações alfandegárias, além de prover maior segurança ao mesmo, através de uma rede avançada de criptografia..

 

  Além disso, em janeiro deste ano, o Portal Único de Comércio Exterior foi reformulado, permitindo a desburocratização de procedimentos referentes a exportação, importação e trânsito aduaneiro, garantindo a maior redução de custos e de imprevistos, além de considerável agilidade. Com essas melhorias implementadas, Thiago Martins Barbosa, gerente do Portal Único Siscomex do Ministério da Economia, comentou que as demandas do comércio exterior poderão ser atendidas com maior facilidade.

 

      Esses aprimoramentos tecnológicos são um grande facilitador para os empresários brasileiros, tanto aqueles que já exportam, quanto aqueles que buscam iniciar tal processo com seus produtos. Ademais, uma consultoria internacional especializada, como a Prisma, através de um mapeamento de regulamentações e tarifas, pode tornar os procedimentos burocráticos da exportação ainda mais simplificados, garantindo a certeza de que não haverá imprevistos ao longo do processo.

   

     

Fontes:

https://bit.ly/3sLPCNY

https://bit.ly/3qaHnJZ

https://bit.ly/3rfobMk

https://bit.ly/2OdFAGA

https://bit.ly/3q9AYia

O uso das tecnologias para as exportações brasileiras: agilidade e segurança para os empresários

Por: Giovanna Relva, 02/03/2021