Cópia de Modelo Imagem Texto de Produtos.png

A renúncia de Boris Johnson e a relação comercial Brasil-Reino Unido

A saída de Boris Johnson como primeiro-ministro britânico 

           Após três anos como premiê do Reino Unido, Boris Johnson renunciou ao posto em julho de 2022, tendo como estopim diversos escândalos envolvendo o britânico — incluindo quebra da quarentena do Covid-19, falta de apoio dentro do Partido Conservador e denúncias de assédio. O ex-primeiro-ministro foi um dos principais defensores da saída do Reino Unido da União Europeia, prometendo levar a decisão adiante desde sua candidatura. O Brexit estava em discussão desde 2016, após um plebiscito, o qual expôs que a maioria da população britânica acreditava que a nação deveria sair da União Europeia. Por fim, Boris Johnson conseguiu com que o Parlamento britânico aprovasse o Brexit — após sua antecessora, Theresa May, ter falhado em conseguir esse consentimento —, e no dia 31 de janeiro de 2020, o Reino Unido deixou definitivamente o bloco. 

 

O Mercado do Reino Unido com a renúncia do premiê

          Em 2022, a Grã Bretanha apresentou uma taxa de inflação relativamente alta — de 9,1%, sendo a maior em 40 anos —, além de um crescimento lento para uma grande economia, segundo o Fundo Monetário Internacional.  Essa crise foi vivenciada durante o mandato de Boris Johnson, mas terá que ser tratada pelo próximo primeiro-ministro. 

 

Comércio Brasil-Reino Unido

           A relação econômica do Brasil e Reino Unido não foi afetada com a saída da nação britânica da União Europeia, as exportações brasileiras cresceram 5% entre 2019 e 2020 — rendendo US$1,08 bilhão. Com a Guerra da Ucrânia, as exportações de café brasileiro aumentaram — variando de 45% a 534% — para outros 24 países, incluindo o Reino Unido. Além disso, em junho o Brasil enviou cerca de 10,26 milhões de litros de etanol, e por conta do aumento do preço médio do produto, o lucro brasileiro está sendo maior. O Brasil também vem ganhando espaço na exportação de aves para o Reino Unido, já que os britânicos vem tendo problemas com escassez da mercadoria — esse comércio pode acontecer principalmente em dezembro, com o natal e o aumento da compra de peru. 

 

As relações comerciais entre o Brasil e o Reino Unido podem ser afetadas?

          Dessa forma, é esperado que a troca de primeiro-ministro no Reino Unido não provoque um problema no comércio com o Brasil, visto que os produtos são essenciais para o país e mesmo uma brusca mudança — a saída da nação britânica da União Europeia — não afetou essa relação. É provável que o crescimento das exportações brasileiras do segundo semestre de 2022 para o Reino Unido continuem — já tendo aumentado 6,6% entre janeiro e junho. 

         Como a relação comercial entre os dois países pode continuar rendendo lucro para o Brasil e exportadores brasileiros, é essencial o auxílio de uma consultoria internacional para a exportação de produtos. Uma análise de mercado seria uma ótima medida para entender como se inserir no mercado britânico da melhor forma possível, e esse serviço é fornecido pela Prisma Consultoria Internacional. 

Por: Juliana Maria Boscarato de Oliveira em 20/07/2022

Fontes

https://bityli.com/AwxEej

https://bityli.com/ePkstQ

https://bityli.com/jOuLSl

https://bityli.com/rGBopj

https://bityli.com/WtfTIm

https://bityli.com/XhPwqd