shaking-hands-3091906_1920.jpg
  • Expansão do Multilateralismo Sul-Americano;

  • Possibilidade de Aumentos de Investimentos;

  • Projeção de US$125 bilhões em ganhos para o PIB brasileiro;

O Acordo Comercial entre Mercosul e União Europeia e seus benefícios ao Brasil

Por: Enzo Toledo  08/06/2021

     Desde sua formação, a União Europeia (UE) mantém laços estreitos com o Brasil, seja no ramo político-diplomático, como também comercial, uma vez que o bloco é, atualmente, o segundo maior parceiro mercante do país. Ainda sim, a cooperação entre ambos tende a aumentar ainda mais com o novo acordo comercial entre o Mercosul e a UE, que amplia a relação dos mercados dos dois blocos e pode ser extremamente benéfico, em especial para o comércio brasileiro.

     Negociado por mais de 20 anos, o acordo assinado em 2019 prevê a eliminação de tarifas de importação para mais de 90% dos produtos comercializados entre os blocos. Ao mesmo passo que, segundo a Conferência Nacional da Indústria, poderá eliminar as tarifas de 68% dos 1101 produtos exportados do Brasil para a UE, que caso ocorra, tornarão os bens brasileiros mais competitivos em solo europeu. 

     Como resultado, é esperado que o acordo seja benéfico para o Brasil tanto de forma comercial, como também multilateral. Neste primeiro é destacado que, conforme estimativas do Ministério de Economia, poderá ocorrer um incremento no PIB brasileiro de mais de US$ 87,5 bilhões, podendo chegar a US$ 125 bilhões dependendo da atuação do Brasil nos 15 anos de vigor. Enquanto isso, as expectativas de investimento externo no país neste período passam pela casa de US$ 113 bilhões, já as exportações para a UE tem estimativa de chegar a US$ 100 bilhões até 2035. Além disso, é importante ressaltar um incremento do multilateralismo sul-americano por parte do Mercosul que ganha grande credibilidade com tal acordo e abre portas para novos negócios e investimentos no futuro.

     Todavia, alguns impasses vem impedindo a ratificação do acordo (embora já tenha sido assinado), em especial a questão ambiental brasileira e algumas desigualdades que possam vir a ser geradas entre os blocos caso haja sua concretização. Ainda sim, o chanceler brasileiro, Carlos Alberto França, afirmou que o acordo poderá entrar em vigor até o fim de 2022.

     Sendo assim, tal acordo possui grande potencial para ambos os blocos expandirem suas relações comerciais e um dos grandes beneficiados pode ser o Brasil, com seus produtos mais competitivos dentro da Europa. Contudo, para um empresário conhecer como e onde investir neste mercado que abre novas possibilidades é essencial a orientação de uma consultoria internacional capaz de fazer seus investimentos serem assertivos no exterior, com, por exemplo, uma Identificação de Mercado, indicando-o onde deveria realizar seus esforços.

Fontes:

https://bit.ly/3gdzdgQ

https://bit.ly/3cKR7H1

https://bit.ly/2SaVGmR

https://bit.ly/3w9mNxo