ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

O crescente mercado sem crueldade

Por: Vitória Godoy Costa 09/07/2018

  • O veganismo como estilo de vida;

  • O crescente mercado de produtos sem exploração animal;

  • Novos empreendimentos: como o açougue sem carne;

  • Cresce o interesse por produtos veganos.

      Com a tendência de uma vida mais saudável que prega uma alimentação mais balanceada, além da preocupação com o meio ambiente, o veganismo apresenta-se como uma opção que une os dois pontos citados acima. Esse estilo de vida baseia-se na busca de eliminar toda e qualquer forma de uso animal, tanto no consumo de produtos quanto em testados em animais.  

     A Sociedade Vegetariana Brasileira estima que há cerca de 6 milhões de veganos no Brasil, explicitando que o crescimento desse mercado é impressionante. Um artigo publicado recentemente pela revista Food Revolution, em que é apontado um aumento de 600% de veganos nos Estados Unidos desde 2015 até 2018, também comprova essa grande popularidade do assunto.

 

     Inclusive, outros países ao redor do mundo vêm demonstrando interesse. Por exemplo, em 2018 o Reino Unido apresentou 8% da população vegana, diferentemente de 2016 em que apenas 1% da população era adepta ao estilo de vida. Os australianos e italianos demonstram, na mesma linha, cerca de 8% da população sem nenhum consumo proveniente de origem animal.

 

     Por ser razoavelmente novo, o mercado vegano ainda possui diversas oportunidades para desenvolvimento e exploração. De acordo com um estudo feito pela empresa especializada em pesquisas, MarketsandMarkets, no mundo é esperado que em 2022 o mercado deve faturar 6 bilhões de dólares.

   Um novo nicho de mercado que nasceu com o estilo de vida foi o dos açougues veganos, em que alimentos como bacon, hambúrguer e queijos são vendidos em suas versões sem origem animal. O sucesso desse tipo de empreendimento foi tanto que na inauguração do açougue vegano No Bones  na cidade de São Paulo os estoques esgotaram-se em duas horas, e o faturamento mensal da empresa é de cerca de 30 mil reais.

 

    Por fim, grandes empresas buscam alternativas veganas para incluir em seu catálogo de produtos pela grande busca em opções adeptas ao veganismo. Uma grande marca que se inseriu no mercado foi a australiana Ben e Jerry's, que adicionou ao seu cardápio em 2018 duas opções veganas de sorvetes, feitos com leite vegetal. Com tudo que foi citado acima, é possível perceber que o crescimento do mercado vegano não é algo novo e só tende a aumentar e a se consolidar. Dessa forma, o mercado de produtos sem exploração animal é uma boa opção de investimento para novos empreendimentos.

Fontes:

Acesso em 08/07/2018

https://bit.ly/2MhIKHE

https://bit.ly/2MlGxr2

https://abr.ai/2GzmgtQ

https://bit.ly/2ML4iII

https://bit.ly/2wanuIZ

https://abr.ai/2MrSePH