ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

A ascensão do mercado de exportações do Guaraná

Por Rodrigo Zilio - 15/05/2018

  • Exoticidade, versatilidade e exclusividade do guaraná;

  • Falta de competição no exterior e aceitação nos mercados internacionais;

  • Crescimento da demanda internacional;

  • Perfil dos consumidores;

  • Intensificação na divulgação.

    O guaraná, produto típico da região amazônica, é muito conhecido no Brasil, como também no exterior. O fato dele ser um produto único do território brasileiro dá ao mercado uma sensação de exoticidade e exclusividade dos produtores nacionais em mercados externos, condicionando tal nicho a sempre ter uma alta demanda se comparada à oferta, o que faz com que muitos comercializantes tenham interesse em vender o produto a consumidores estrangeiros.

  

     Ademais, segundo dados do Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), estima-se que em torno de 70% da produção seja voltada aos fabricantes de refrigerantes, enquanto o restante é comercializado na forma de xarope, bastão, pó, extrato e outros subprodutos. Dessa forma, é possível notar outra característica do guaraná: é um produto versátil. Esse atributo agrega valor no mercado e faz com que compradores internacionais procurem o Brasil para o fornecimento dessa mercadoria.

   

   Em pesquisa mercadológica realizada pelo SEBRAE ( Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o guaraná tem uma produção nacional que gira em torno de 4 mil toneladas por ano, desse total cerca de 90% é absorvido pelo mercado interno. Sendo assim, o fato de somente 10% da produção da fruta ser voltada ao mercado externo, assim como o motivo do Brasil ser o único país exportador desse produto, faz com que a concorrência no mercado internacional seja pequena. Dessa forma o pequeno produtor de guaraná tem grandes chances de se encaixar nesse mercado. Ainda segundo informações da análise do SEBRAE, o guaraná brasileiro rende R$ 3,4 bilhões anuais em vendas. A demanda nos mercados internacionais faz com que o país já exporte para países como Portugal, Espanha, Porto Rico e Japão.

     

     O guaraná é um produto certificado pela Associação de Certificação Instituto Biodinâmico - IBD, sendo assim, o guaraná é um produto certificado conforme os padrões internacionais. A fruta também já teve a aceitação dos americanos, europeus e asiáticos. Segundo informações do programa de melhoria genética do guaranazeiro da Embrapa, a produção terá que dobrar nos próximos três anos para atender à demanda do mercado externo. Os embarques para os países da América, Europa e Ásia crescem cerca de 20% ao ano, segundo o SEBRAE. As exportações de guaraná e a sua aceitação no mercado internacional já é histórica. O projeto Onça, Organização Núcleo de Comunidades Agrícola, de Taperoá, envia guaraná em pó para a Alemanha desde 1995. Nos últimos 13 anos, as remessas anuais haviam somado 4,5 toneladas, com remunerações de até 14 dólares por quilo.

    

    O perfil do consumidor de guaraná hoje é mais amplo, abrangendo pessoas de diversas idades e é usado para os mais variados fins. A fruta é utilizada até mesmo por atletas, frequentadores de academias, ginástica, praias e turistas, gerando um novo e rentável campo de negócios para produtores e exportadores. O consumo de guaraná tornou-se um hábito.

   

    O mercado externo também tem perspectivas favoráveis de crescimento dada à política de atuação das grandes, médias e pequenas empresas, assim como de laboratórios que estão investindo em novos nichos de mercado. Diante do grande potencial comercial, entidades como a SUFRAMA ( Superintendência da Zona Franca de Manaus) tem intensificado a divulgação do guaraná em eventos para auxiliar na abertura de novos mercados e identificação de oportunidades de negócios. Dessa forma, a crescente participação do produto no mercado, assim como as demandas de exportação, trazem ótimos ares para o investidor que deseja exportar.

Fontes

Acesso em 09/05/2018

https://bit.ly/2GbDbT9

https://bit.ly/2wBFLSK

https://bit.ly/2jSujsI

https://bit.ly/2Iz1QX5