ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

Cosméticos Orgânicos: sustentabilidade e alto crescimento do mercado

Por Lucas Pereira 29/06/2017

  • Ingredientes tipicamente brasileiros;

  • Benefícios além da estética;

  • Mercado em alto crescimento.

     Os cosméticos naturais são compostos geralmente por 95% de ingredientes não alterados sinteticamente em laboratório e 5% de orgânicos. Os cosméticos veganos, por sua vez, não possuem ingredientes de origem animal (como o mel e o colágeno) nem são testados em animais e recebem o selo internacional de cruelty free. Os cosméticos orgânicos, com 95% de matérias-primas orgânicas, não possuem agrotóxicos e/ou organismos geneticamente modificados. Além de não possuir derivados de petróleo, silicones, corantes, e substâncias químicas agressivas.

     Tem-se visto cada vez mais uma preocupação com o impacto do consumo de cosméticos testados em animais ou com componentes produzidos em laboratórios, empresas como a Lush, uma gigante britânica do mercado da beleza, lucrou, segundo divulgação da própria empresa, em torno de R$: 194 milhões desde sua fundação em 1995 até Junho de 2016. Esse sucesso se deu, em grande parte, pela proposta cruelty free e sustentável ecologicamente que a Lush sempre procurou associar aos seus produtos.

     No Brasil, mercado de cosméticos com ingredientes naturais, tipicamente brasileiros, atraem demandas que ultrapassam as fronteiras do país. A diversidade dos recursos naturais brasileiros favorece muito o desenvolvimento desse tipo de produto, e a preocupação com os danos causados por componentes sintéticos faz com que a demanda cresça cada vez mais, nacional e internacionalmente.

      Os benefícios no consumo desses produtos vão muito além de meramente estéticos. No viés financeiro, segundo a Apex,o mercado brasileiro de produtos orgânicos como um todo gira em torno de 2 à 3 bilhões de reais por ano.  Segundo a Braver, empresa especialista no mercado de cosméticos orgânicos, os cosméticos naturais, veganos e orgânicos já movimentam, juntos, US$9 bilhões em todo o mundo. As projeções indicam que em 2024, o mercado alcançará US$22 bilhões. Os Estados Unidos são os principais consumidores, seguidos pelo Japão, China e Índia. Na Europa, a Alemanha é o principal mercado.  

     Além disso, segundo o Sebrae, no Brasil o fortalecimento do ambiente de negócios no ramo de cosméticos carregados de responsabilidade ambiental se mostra cada vez maior pela diversidade ecossistêmica, proporcionando alta qualidade aos produtos, tanto para a beleza quanto para a saúde. Em 2012, segundo o Sebrae,somadas as marcas atuantes no ramo de cosméticos em geral  cerca de US$: 42 bilhões foram faturados com a exportação desses produtos, ou seja, os números de faturamento impressionam ao mesmo tempo que demonstram a oportunidade de crescimento para os empresários que optam pela internacionalização desse tipo nesse nicho de mercado. No mercado da beleza, as vendas no nicho especificamente orgânico cresceu em torno de 20%, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o que sinaliza as oportunidades de investimento no setor.

     Os desafios na produção de tais produtos são de fato superados pelo crescente faturamento o que indica também a concorrência cada vez mais presente dentro desse enorme ramo de cosméticos orgânicos por isso é de extrema importância a divulgação de que a mercadoria a ser vendida é de caráter orgânico e possui responsabilidade social ou ecológica, além de ser adaptada à empresa uma boa estratégia de abordagem do mercado, o que inclui tópicos como o conhecimento do mercado-alvo e a possível exportação dessa mercadoria para que haja um maior leque de oportunidades de faturamento a ser aproveitado.

Fontes

Acesso em 28/06/2018

https://bit.ly/2Ku0Vbi

https://bit.ly/2KkdJ4Z

https://bit.ly/2Kw9Fu6

https://bit.ly/2KmJ0Ep