ENTRE EM CONTATO

  Rua Monte Alegre, 984 - São Paulo, SP - Brasil

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Instagram

Causas sociais como argumento para fazer negócio

Por Antônia Turco 12/10/2017

  • Um novo modo de negócios: empresas for-benefit (ou com fins beneficentes);

  • Como empreendimentos podem se beneficiar com esse novo modelo;

  • Companhias que expandiram as vendas.

      Um novo modo de fazer negócios está crescendo por cima de todos os desafios sociais que o mundo enfrenta ao mesmo tempo em que conta com o antiquado tipo de companhia que "visa apenas lucro". Essa forma pouco convencional de empreendimento que se encontra entre padrões com fins lucrativos (for-profit) e sem fins lucrativos (non-profit) tem sido chamada de empresa for-benefit (com fins beneficentes), e tem criado uma infinidade de caminhos para tomar parte em uma grande variedade de problemas encontrados pelas comunidades que a rodeiam, unindo o que na língua inglesa é conhecido como os 3Ps: people, profit, planet; ou pessoas, lucro e planeta.

     Os benefícios de adotar uma causa social não apenas reverberam na sociedade enfoque, mas também entre uma nova geração de consumidores que se preocupam com os impactos causados no planeta por conta do consumo e com sua capacidade de fazer uma mudança em alguma área necessitada. Assim, esses consumidores procuram produtos feitos por instituições que unificam certas preocupações mencionadas anteriormente com a motivação de comprar ecologicamente. Segundo uma pesquisa de 2013 da Column Five, por volta de 88% dos consumidores Norte-Americanos preferem comprar de uma companhia que defende qualquer tipo de causa social ou ambiental e 84% recomendariam a empresa para amigos e familiares, ao invés de comprar e recomendar companhias com fins exclusivamente lucrativos.

     As vantagens para a sociedade nesse novo modus operandi de fazer negócios são evidentes. O que podem parecer desembolsos numa escala maior, acabam por ser, na maioria dos casos de responsabilidade social corporativa, de grande ajuda para a economia e a imagem da empresa. A Califórnia, por exemplo, possui uma companhia eco-friendly de design de casas que já foi publicada e recebeu artigos em mais de 10 revistas populares ao redor do mundo. A empresa, Prime Five Homes, sempre se assegura de informar seus clientes em potencial de que é possível viver em uma casa menos poluente e que gasta menos energia, e garante que parte dos ativos ganhos pela corporação serão revertidos em uma casa construída de maneira sustentável para aqueles que não têm condições.

     Toms, uma companhia de sapatos norte-americana, teve um crescimento marcante doando cerca de 35 milhões de pares do seu principal produto para mais de 60 países desde que foi estabelecida em 2006, de acordo com o artigo 3 publicado em 2015 pelo The Telegraph. Desde o começo, a empresa estabeleceu uma campanha One-by-one (um-por-um): para cada par de sapatos comprado, um outro seria doado para alguém em necessidade. A maior parte de seus clientes são jovens na faixa dos 20 aos 30 anos que buscam inspiração em celebridades como Zendaya, uma atriz e influencer nas redes sociais com 44.5 milhões de seguidores no Instagram, e uma das embaixadoras da marca. A receita para o sucesso de Toms é evidente: seu uso do marketing através das redes sociais para causas sociais atrai as gerações Z e Millenials em termos do que estas pensam que os negócios deveriam ser.

     Isso pode ser visto em números com a pesquisa do Hava's Worldwide, que entrevistou 10,2 mil pessoas ao redor de 31 países, que têm a expectativa de que marcas circulando nas redes sociais também estão envolvidas em algum tipo de desafio social, o que ilustra o quão importante é adotar uma causa social ao fazer marketing nas redes sociais.

Fontes

Acessado em 12/10/2017

https://goo.gl/5KH1H6

2 https://goo.gl/yutS6a

https://goo.gl/5BDUCW